Você está aqui: Home › Colunas › Direto da Redação
Direto da Redação

E-mail: noticiasdaregiao@terra.com.br

07/08/2018
Homenagem da Transwolff a seus motoristas

Por ocasião da passagem do Dia do Motorista, 25 de julho, a empresa TRANSWOLFF mostra o perfil de alguns destes profissionais que fazem parte do seu quadro de funcionários. São eles:

A baiana JEANE SANTOS PEREIRA, 33 anos, é motorista de ônibus da Transwolff há dez anos. Há cinco dirige na linha 6058-10 / Jardim Noronha – Terminal Varginha. Desde criança via o seu pai dirigindo ônibus e achava maravilhosa a profissão. Sonhava em ser motorista de ônibus. “Me encantei com o ônibus. Eu gosto muito do que eu faço. Mulher é cuidadosa, dirige bem e é capaz”.  

Mesmo aficionada e já exercendo a profissão de motorista, cursou e se formou em Psicologia, mas não quis abandonar o ônibus. “Tem mudado a visão das pessoas ao verem a mulher no volante do ônibus. Acho que diminuiu muito o preconceito”, comenta JEANE. 

######################################################

GEORGE LOURENÇO DA SILVA, 43 anos, o GATO FÉLIX, é  motorista de ônibus há dois anos. Há cinco meses é motorista da linha 7055-10 / Guarujá - Terminal Campo Limpo. No final de semana ele troca o volante pelo grupo de pagode “Sem Segredo”, onde toca cavaquinho em várias casas de shows da zona Sul.

Formado em Fisioterapia e Tecnologia da Informação, não quis exercer nenhuma das duas funções por conta da paixão pelo ônibus. Ele ainda faz uns frilas de massoterapia. “O ônibus me ‘desestressa’. É uma profissão importantes, pois a gente contribui com a cidade levando os trabalhadores ao seu destino”, se orgulha GATO FÉLIX.   

######################################################

O motorista de ônibus FELIPE LIMA ALCÂNTARA, o CHICLETE, 25 anos, que dirige na linha 6062-51 / Jardim Castro Alves – Terminal Santo Amaro, cursava Direito na UNIP da Chácara Santo Antônio já há um ano, quando se deparou com o pai doente e que se convalescia de um tumor na cabeça, em 2014. CHICLETE abandonou a faculdade para seguir os passos do pai, que era motorista da mesma linha.

“Tinha que continuar o legado que ele deixou”, conta CHICLETE, cujo pai veio de Umuarama, Paraná, para a zona Sul nos anos 1980. “Adoro dirigir e é um orgulho seguir os passos do meu pai que chegou sem nada aqui e venceu”, lembra. Ele é casado com a operadora de caixa Audilene Bianca, 26 anos, é pai de Yasmin, 7, e Nicolly, 3. O terceiro filho, Davi Miguel, já está para nascer.

######################################################

Após 12 anos dentro de um galpão de uma metalúrgica, DANIEL ARAÚJO DO NASCIMENTO, 33 anos, migrou para o transporte coletivo. Ele trabalha na linha 6052-10 / Jardim Sete de Setembro – Terminal Varginha. “É uma grande satisfação e uma responsabilidade enorme, pois a gente transporta vidas. As vidas dos passageiros estão nas minhas mãos e isso é muita responsabilidade”, diz.

“O carinho ao embarcar um cadeirante, um idoso, ao dar um bom dia, tudo isso é muito gratificante. O reconhecimento dos passageiros não tem preço. Faço de coração e com amor”, conclui DANIEL.




Coluna Interlagos

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia em Interlagos e região.